Falta de dados dificulta prevenção de incêndio em edifícios, alerta engenheiro em palestra na M&T Expo

Em palestra proferida no Summit da M&T Expo 2018 – 10ª Feira Internacional de Equipamentos para Construção e Mineração, realizada durante esta semana, em São Paulo, o engenheiro José Félix Drigo, da divisão técnica de engenharia de incêndio do Instituto de Engenharia de São Paulo, chamou a atenção para a falta de estatísticas confiáveis sobre incêndios em edifícios no Brasil. “Hoje, uma das lutas da área de engenharia é introduzir uma disciplina voltada a incêndio nas escolas de Engenharia”, observou.

O engenheiro chamou a atenção ainda para o fato de que os incêndios hoje envolvem materiais bem mais tóxicos, quando comparados com outras épocas em que o mobiliário de uma residência era formado basicamente por móveis de madeira. “Atualmente, temos muitos itens em HCN, cianeto de hidrogênio dentro de uma casa ou escritório. Um exemplo dos danos dessa substância foi a boate Kiss, cujo incêndio, em 2013, na cidade de Santa Maria, no RS, vitimou 242 pessoas”. Para se ter uma ideia do quanto é importante estar bem equipado para emergências, o incêndio do Memorial da América Latina de São Paulo, em 2013, afetou sete bombeiros, que receberam imediatamente, no hospital, o antídoto contra o HCN. Resultado: em uma semana eles tiveram alta. “O diferencial, nesse caso, é que o país se preparou para a Copa do Mundo. Então, essas vítimas se beneficiaram com essa precaução”, observa Drigo.

A 10ª M&T Expo é o principal ponto de encontro do setor na América Latina. Promovida, pela primeira vez, em 1995, pela Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração (Sobratema), a edição de 2018 marca o início do acordo de cooperação de longo prazo firmado entre a entidade e a Messe München, promotora da bauma, maior feira mundial da área de equipamentos para construção. Para visitar a M&T Expo 2018, basta realizar o credenciamento online no site oficial.


Download Press Release (PDF)