Alta no setor de máquinas e equipamentos no início de 2021

Alta no setor de máquinas e equipamentos no início de 2021

O desempenho do setor no primeiro trimestre do ano foi 27,4% maior do que o de 2020

O setor de máquinas e equipamentos vem registrando crescimentos ao longo de 2021. Segundo a Abimaq – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, a receita do setor chegou a R$ 13,8 bilhões no mês de fevereiro, uma alta de 18% no comparativo com o ano anterior.

Essa realidade de números otimistas se repete desde abril de 2020, com mais ou menos intensidade. O que é animador, mesmo ao saber que o crescimento ainda não é o mesmo do melhor momento do setor. Os números estão cerca de 22% menores do que os registrados entre 2010 e 2013, quando o setor atingiu as melhores taxas históricas.

O que os especialistas esperam para o futuro

A previsão das entidades especialistas que observam o mercado é de que o setor de bens de capital tenha uma alta de 13%, puxada principalmente pelos setores que seguem em alta nos últimos meses, como saneamento, que recentemente foi aberto para que empresas privadas possam executar obras e tarefas dentro desse nicho.

Infraestrutura e energia também estão em destaque, com muitas movimentações em torno do PPI e aportes de investimentos gerais.

Pontos altos e baixos

Entre as boas notícias que acompanham essas frequentes altas, o número de novos postos de trabalho gerados é destaque, com mais de 300 mil novos empregos criados.

No outro oposto, as exportações de máquinas passaram por quedas. Em comparação com fevereiro de 2020, o mesmo período em 2021 passou por uma redução de 24% nos produtos mandados para fora do Brasil. O que é uma clara influência do processo pandêmico que reduziu as rotas de comércio e dificultou a distribuição de contêineres.