Escassez de equipamentos mostra como investir de forma planejada é essencial para se destacar no mercado da construção civil

Escassez de equipamentos mostra como investir de forma planejada é essencial para se destacar no mercado da construção civil

Escassez de equipamentos mostra como investir de forma planejada é essencial para se destacar no mercado da construção civil

Mercado de locação de equipamentos ferve com retomada de lançamentos imobiliários e empresas que investiram em época de crise saem na frente

Quem deixou de investir em equipamentos quando da estagnação do mercado de lançamentos imobiliários, acabou ficando para trás. É o que se constata ao analisar a situação atual em São Paulo, onde, com o reaquecimento do setor, há uma falta generalizada de equipamentos para locação.

E apesar de não haver ainda uma crise relacionada ao atraso de obras, a possibilidade não pode ser descartada, não apenas na capital paulista, como em todo o seu entorno, já que a maior parte das obras previstas para a Região Metropolitana terá início no segundo semestre de 2020.

A demanda segue alta, mas a escalada na construção (e nas vendas) de novos empreendimentos começou ainda na reta final de 2018. As locadoras e construtoras capazes de prever essa onda de retomada puderam obter ou locar equipamentos, principalmente de fundação, por valores mais convidativos.

Mercado segue aquecido

Além disso, a projeção do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo) é de que não só o bom fechamento de 2019 vai ditar o crescimento no setor em 2020, mas que a redução dos estoques de imóveis abrirá espaço para novos – e lançamentos.

Quanto às ações do governo em relação ao setor, espera-se um tratamento diferenciado para a construção, já que as reformas que buscam o equilíbrio das contas públicas seguem avançando. O impulsionamento da infraestrutura com privatizações, concessões e parcerias público-privadas é parte desta tendência.

Ainda segundo o sindicato, o retorno gradual da aposta no imóvel como forma de investimento também contribui para manter esse mercado em alta ao longo do ano.

Mais luzes no fim do túnel (e dentro das cabines)

E as boas notícias não param por aí:

. Neste cenário, diversas empresas do setor de equipamentos estão, aos poucos, mobilizando-se para suprir a demanda.

. Isso quer dizer também mais empregos, com vagas sendo abertas na esteira do aumento do PIB da construção. Não se sabe ainda o número de novas vagas, mas, no ano passado, o crescimento no número de empregados foi de 1,8% (2,3 milhões de trabalhadores) e a tendência é que isso se intensifique.

. E a melhor de todas é que muitas delas estarão na M&T Expo, que acontece M&T Expo – de 5 a 8 de julho de 2021, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center.

Siga acompanhando por aqui todas as novidades dessa e de outras áreas, e sobre a maior feira de equipamentos para a Construção e a Mineração da América Latina, que trará novidades imperdíveis.

Clique aqui e preencha o formulário com seus dados. Quando o credenciamento for aberto, você ficará sabendo, via e-mail, em primeira mão.

 Matéria de apoio:  https://valor-globo-com.cdn.ampproject.org/c/s/valor.globo.com/google/amp/empresas/noticia/2020/02/26/retomada-das-obras-provoca-falta-de-equipamentos-em-sao-paulo.ghtml